Provérbios da letra N
Não há atalho sem trabalho
Não há ausentes sem culpas, nem presentes sem desculpas
Não há bacorinho sem seu São Martinho
Não há bela sem senão
Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe
Não há duas sem três
Não há fome que não dê em fartura
Não há fumo sem fogo
Não há guerra de mais aparato do que muitas mãos no mesmo prato
Não há luar como o de Janeiro nem Amor como o primeiro